#1 – Diário – As Crônicas Eternas

Essa semana não foi tão produtiva em relação a textos, mas os mapas estão a mil por hora. Desisti da ideia de faze-los pelo Photoshop e estou recomeçando a tacar tudo no papel mesmo, feito na mão, na marra, e me dou bem assim.

carto

A cartografia sempre foi uma das minhas maiores paixões, desde sempre. Mas de um tempo pra cá eu tinha dado uma pausa nos mapas e me dedicado apenas aos textos. Acontece que eu cheguei em uma parte da trama que não está sendo possível continuar sem uma noção detalhada de alguns mapas. Então eu abri o Photoshop e comecei a trabalhar.

Foi quando eu percebi uma coisa: Não da! Por mais que seja muito mais fácil se fazer um mapa por meios digitais, pra mim não deu muito certo.

Então voltei às raízes e caí de cara na criação manual. Em breve postarei alguns dos mapas aqui. 😀

Anúncios

#0 – Diário – As Crônicas Eternas

Já faz um tempo que desejo compartilhar a minha experiência ao escrever um livro de uma magnitude tão imensa quanto o que estou criando. Espero que ajude você, caso queira escrever ficção também, e encontra milhares de obstáculos pela frente.

Sem delongas, vamos ao que interessa.

Máquina de escrever

Tudo começou em meados de 2006, quando eu comecei a levar a sério toda essa ideia de criar um mundo próprio, onde a geografia é completamente minha, as estórias, os personagens, etc.

Mergulhando de cabeça nessa empreitada, criei diversos universos, culturas, reinos, cidades, vilarejos e tudo o mais. Toda criação dessa época já está no lixo faz tempo, mas minha ambição de fazer algo concreto e permanente não saía da minha cabeça. Eu precisava terminar o que havia começado, porém sempre fui um desastre nisso.

Passei mais de cinco anos criando, apagando, recriando e reciclando, sem saber onde ia acabar ou por onde comecei. Era uma bagunça total. Eu não sabia o que desejava daqueles meses dedicados à criação. Não sabia se tinha potencial para ser algum dia publicado e estampar as prateleiras das livrarias, e não me importava mesmo se isso aconteceria ou não. Eu só queria brincar de ser escritor.

Até que li uma frase (não lembro onde) que mudou completamente minha vida. A frase era a seguinte:

Daqui a um ano você vai desejar ter começado hoje.”

Acredite, essa frase ficou martelando na minha cabeça feito um sino, e eu comecei a me perguntar o que eu faria da minha vida, afinal, um dia eu ficaria velho e precisaria ter o conforto de saber que fiz algo que me orgulhasse.

Então eu tive uma espécie de visão, uma epifania, e comecei a criar um mundo que posteriormente seria chamado de Mystral. Isso foi só em 2012, seis anos após minha introdução na área de escrever ficção. Esse ano foi bastante evolutivo, e nele as minhas ideias começaram a criar forma, enfeitando meus parágrafos e me trazendo muita satisfação.

O que me fez sair desse casulo que eu me encontrava foi tentar ver de fora a minha vida como escritor. Comecei a me perguntar se gostaria de ser reconhecido pelas minhas estórias, se gostaria de ver meus livros lá nas estantes das grandes livrarias, e se aquilo me traria conforto. A resposta para tudo isso foi “sim, é isso que eu quero”. E então eu parei de brincar de escrever, e comecei a escrever de verdade.

O processo de escrita de uma saga como As Crônicas Eternas é torturante, porém estimulante. Existem dias nos quais escrevo cerca de cinco mil palavras por hora, e outros que escrevo apenas trinta palavras em uma tarde inteira. O segredo foi conhecer meu mundo antes de começar a escrever. Hoje tudo flui de modo natural, seja lento ou rápido, bom ou ruim. Hoje me prendo apenas a seguir meu instinto e minha satisfação de ver uma folha em branco sendo preenchida pelas frases que saem de meu interior.

Então é isso. O segredo de escrever bem é saber que você é sua criação e que aquela criação lhe vê como um semelhante. Ou seja, não tente ser ninguém mais. Seja você.

Escreva você!

Inauguração do Blog

Saudações!

Após um exageradamente longo período de preparação, aqui vos apresento meu mais novo blog. Pretendo neste mostrar alguns de meus trabalhos, como alguns contos, poesias, e um diário de bordo sobre a minha experiência escrevendo minha saga de ficção/terror/fantasia chamada “As Crônicas Eternas“.

preview

Há muita coisa para postar, mas por enquanto vou deixar a introdução de uma estória que está há muito em minha mente. O nome é “O Bardo na Taverna“, e se trata de um livro-série, no qual postarei um capítulo por vez. Você pode clicar AQUI para ler o prólogo dessa série, ou então pode ir lá na barra de menu e clicar em “contos”.

Em breve postarei mais, pois material não falta.

See ya! 😉